Busca

domingo, 28 de maio de 2017

Coluna do Jersan

“NEM TUDO QUE RELUZ É OURO”


Jersan Araújo
O governador Flávio Dino tem mostrado à população em peças publicitárias e em inserções no programa do seu partido (PCdoB) um trabalho eficiente na área da Segurança Pública. Aumentou o efetivo da Polícia Militar, melhorou o salário da categoria e da Polícia Civil, aumentou o número de veículos (carros e motos), além de outros benefícios que satisfizeram a alta cúpula das nossas polícias. Há, porém, descontentamento nas classes inferiores porque a desproporção entre os vencimentos de um coronel para um sargento da PM e de um delegado para um investigador, por exemplo, é muito grande.
 Os policiais civis entendem que os oficiais e os delegados souberam negociar com o governo e conseguiram benefícios que eles não obtiveram, talvez, por falta de capacidade dos seus sindicatos quando tiveram a oportunidade de, na mesa de negociação, convencer os representantes do Poder Executivo a conceder a eles as mesmas vantagens dadas aos seus superiores. Os policiais civis reclamam e lembram que “em termos salariais já tivemos dias melhores no Maranhão” – comentaram.
As mesmas reclamações fazem os professores aposentados que, nos últimos anos, vêm recebendo tratamento diferenciado (para baixo) daqueles que estão no exercício da função. O governo garante que paga o segundo maior salário do país à categoria, mas existe quem conteste essa afirmação. Quando um interlocutor lembrou a propaganda oficial e partidária veiculada nos meios de comunicação, o outro lembrou incontinente que “nem tudo que reluz é ouro.”

ROSEANA SENADORA?

Trabalho de bastidores desenvolvido na cúpula sarneysista, objetiva saber se será mais fácil para Roseana se eleger senadora ou se vale a pena disputar o Governo do Estado com Flávio Dino que, segundo as pesquisas tem amplas condições de se reeleger no primeiro turno das eleições de 2018. As opiniões se dividem: muitos caciques do PMDB entendem que Roseana deveria enfrentar Dino como candidata a governador. Outros, porém, acham que ela terá mais chance de ganhar uma das duas cadeiras do Senado a vagar com o fim dos mandatos de Edison Lobão e João Alberto. As discussões e análise continuarão nos próximos dias e a conclusão dos levantamentos será levada posteriormente ao conhecimento do cacique – mor, que decidirá a questão. O problema, como sempre é Zequinha, que, também, quer ser senador. Já Lobão e Alberto seriam “cartas fora do baralho”. O grupo admite a vitória de Zé Reinaldo, mas, de Weverton Rocha, não. Na avaliação dos “analistas” ele não teria musculatura para chegar lá. Será?

DEFESA DE DOMINICI

O prefeito João Dominici, segundo informações chegadas à coluna, protocolou no Fórum de São João Batista, sua defesa nos processos movidos pelo Ministério Público local, que acusa o prefeito de cometer crime de improbidade administrativa, em processos licitatórios realizados pela Prefeitura. Ao tomar conhecimento de equívocos constantes nas referidas licitações, o prefeito decidiu, por decreto que foi publicado no Diário Oficial do Estado, tornar nulas de pleno direito todas as licitações. Mesmo depois dessa providência adotada pelo prefeito, o Ministério Público deu encaminhamento às ações ao juiz Ives Monteiro Costa, da comarca de São João Batista, ao qual caberá julgá-las.

FATO CURIOSO

As pessoas que cometem crimes de qualquer natureza devem responder e pagar por eles. Essa é a regra. Mas antever os fatos e garantir nas mesas de bar e nas esquinas que um político terá o seu mandato cassado porque não mantém bom relacionamento com determinado magistrado, que agiu raivosamente no passado contra um então prefeito e foi vitorioso, é no mínimo muito curioso e precipitado, pois o raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Vivemos numa democracia onde existem acusadores e defensores, decisões e recursos, avaliações e veredictos que não dependem de um senhor, mas da maioria do colegiado que tem o direito e o dever de opinar sobre as questões em debate. Mas tem gente desinformada pensando que um magistrado, de forma unilateral pode decidir tudo a seu bel prazer e na força, como acontecia nos anos de chumbo da ditadura, quando o presidente da República editava um Ato Institucional “resolvendo” o destino da Nação.
Sabe-se que existem prefeitos no Brasil afora e até governadores pressionados por autoridades autoritárias e caprichosas querendo se locupletar. Assim como tem “empresários” que não possuem equipamentos querendo executar grandes obras nos municípios, como asfaltamento, que requer máquinas pesadas e outros grandes investimentos. Chama-se isso aventura perturbadora.

CORAÇÃO BONDOSO

O juiz Sergio Moro libertou a mulher de Eduardo Cunha da cadeia. Procuradores que atuam na Lava Jato devem recorrer da decisão que, segundo observadores, teria como motivo o “coração bondoso de Moro” e acena para a possibilidade de a delação de Eduardo Cunha, que deverá ser a mais bombástica de todas. Ou teria sido uma reação à Janot que foi benevolente com os irmãos Joesley e Wesley Batista, dispensados pelo procurador geral de cumprir pena pelos crimes que cometeram no Brasil nos últimos 10 anos? Os irmãos da JBS curtem liberdade nos Estados Unidos, depois de escandalizarem a vida de Temer e companhia no Brasil.

TURMA DO BEM

A intitulada turma do bem que se reúne aos fins de semana na Churrascaria Noventa, do Roberto, se fez presente, ontem, mais uma vez. O “papo” versou sobre política, justiça, educação, obras inacabadas, lixo, buracos nas cidades, segurança e, lógico a roubalheira que vitimou a Nação Brasileira. O advogado José de Fátima Feitosa veio de Santa Inez para participar do encontro sadio que contou, ainda, com a presença, de educadores, aposentados, engenheiros, blogueiros e representantes comerciais. A turma marcou e mandou pagar um “bolão” da mega sena acumulada, pensando – se ganhar – contribuir ainda mais para o bem das pessoas mais necessitadas. Boa gente!... 

Nenhum comentário: